Fonte: Redação DS

Agenda 2030 das Nações Unidas

Universidade de Évora é a primeira do país a mapear os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Reconhecer os contributos que uma determinada unidade curricular pode dar para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) foi a primeira ação desenvolvida pela Universidade de Évora (UÉ) no sentido de mapear os ODS na sua oferta formativa.

A UÉ tornou-se assim “a primeira universidade portuguesa a mapear os ODS na sua oferta formativa”, apontou a academia alentejana, em nota de imprensa, focando que “tal permite reforçar o seu alinhamento com as políticas traçadas na Agenda 2030 das Nações Unidas”.

A este respeito, a UÉ explicou que “existem unidades curriculares específicas sobre ODS (ou que contêm módulos sobre ODS), bem como unidades curriculares que, através dos seus resultados de aprendizagem, podem contribuir para alguns desses objetivos”.

Adiantou ainda que “se os objetivos de uma determinada unidade curricular estiverem alinhados com um ou mais ODS os mesmos serão assinalados na respetiva ficha de disciplina”.

Tal também acontece “se uma unidade curricular fornecer aos estudantes as competências para responderem aos desafios relacionados com um ou mais ODS”, esclareceu a UÉ.

De acordo com a mesma fonte, “trata-se de um procedimento ágil que tem envolvido a comunidade académica e que coloca a UÉ a par de outras universidades de referência na Europa e no mundo”.

A este respeito, a academia alentejana recordou que “o nosso planeta enfrenta preocupantes desafios sociais, económicos e ambientais”, lembrando que “o ano de 2015 ficou marcado pela definição da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”.

Frisou que essa agenda “aborda várias dimensões do desenvolvimento sustentável e promove a paz e a justiça”.

Segundo a UÉ, “em setembro desse mesmo ano, foram apresentados como pilares da Agenda 2030 os 17 ODS e as respetivas 169 metas”, realçando que “representam as prioridades e aspirações para a próxima década que influenciarão a qualidade de vida de todos os cidadãos”.

A mesma fonte reiterou que “a sua implementação requer o envolvimento e empenho de todas as partes: governos, empresas e pessoas”.

Focou que “as universidades, através das suas atividades educativas e de aprendizagem, devem desempenhar um papel importante na implementação dos ODS, contribuindo também assim para um futuro mais sustentável e inclusivo”.  

A UÉ evidenciou que “as universidades têm a capacidade de mobilizar os jovens para a importância da Agenda 2030 e de proporcionar aos estudantes o conhecimento e as competências para enfrentarem os desafios dos ODS”, constatando que também podem “promover oportunidades para melhoria das competências de estudantes e profissionais de países em desenvolvimento”.

Relativamente à Agenda 2030, a academia alentejana mencionou que “reconhece a importância da educação para o desenvolvimento sustentável através do ODS 4 – Educação de qualidade”, assegurando que “algumas das metas desse ODS exigem explicitamente a atuação das universidades”.

A par disso, a UÉ explicitou que “muitas outras metas têm uma relevância direta nas atividades de ensino e aprendizagem nas academias”. Nesse âmbito, “o ensino superior incorpora desde logo o ODS 4, pelo que este Objetivo de Desenvolvimento Sustentável está presente nas fichas de disciplina de todas as unidades curriculares da UÉ”, concluiu a mesma fonte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, introduza o seu comentário!
Please enter your name here