A chamada para novas criações do festival Artes à Rua recebeu 92 propostas de novas criações artísticas distribuídas pelas três categorias de apoio a concurso, para artes performativas, artes visuais e projetos participativos e colaborativos. Foram selecionados por um júri composto por profissionais da área da cultura – Daniela Salazar, César Silveira e Susana Picanço – 14 projetos de artistas, criadores e agentes culturais cuja área de intervenção e participação artística se desenvolve no concelho de Évora. 

Importa, nesta fase, assinalar que o trabalho de avaliação e escrutínio desenvolvido pelo Júri decorreu com normalidade, tendo em conta o elevado número de propostas submetidas, o que justifica a ultrapassagem dos prazos inicialmente previstos para comunicação dos resultados da Chamada para Novas Criações.

Os resultados e os nomes dos artistas, criadores e agentes culturais com projetos selecionados já foram comunicados por email a todos os participantes e serão publicados nos canais de divulgação da Câmara Municipal de Évora, após a aceitação por cada proponente.

A avaliação qualitativa global comum aos três elementos do Júri aponta a grande qualidade e diversidade das propostas. Contudo, escrutinar significa quase sempre quantificar a partir de critérios. Neste caso, os critérios gerais usados estavam contidos no texto inicial que enquadrou a Chamada e foram os seguintes:

– Projetos com um ou mais artistas em diálogo.

– Projetos com cruzamentos disciplinares.

– Projetos participativos e colaborativos (entre artistas e/ou agentes culturais e/ou público).

– Projetos desenvolvidos por artistas ou agentes culturais que não tenham a sua atividade regular apoiada por outros apoios financeiros do município.

Desses critérios gerais contruíram-se os seguintes indicadores aos quais foi atribuída pontuação por cada elemento do Júri:

Nova Criação: uma nova criação com valor 9 deve refletir um trabalho totalmente novo e não a continuidade de outro projeto já iniciado anteriormente;

Artista: artista em exclusividade, atividade profissional nas artes, atividade artística, coletivos de artistas, produtores artísticos, amadores, etc.;

Exequibilidade: demostração de capacidade de realização da proposta;

Proposta: originalidade e valor artístico e cultural;

Comunidade (referente ao patamar C): Considera o trabalho com a comunidade, um bairro, uma escola, um público, uma área natural, etc.;

Colaboração (referente ao patamar B): mais do que um artista em colaboração ou artista em colaboração com entidade.

Dada a qualidade, já referida, bem como o interesse cultural e artístico de todas as propostas submetidas, a Câmara Municipal terá em consideração as várias propostas não selecionadas para outras oportunidades de programação futuras.

O período de reclamação termina no dia 23 de janeiro de 2023.

O conjunto dos 14 projetos culturais selecionados significa um investimento em criação de 100 mil euros a ser realizado durante o ano de 2023.

Fonte: Nota de Imprensa / Câmara Municipal de Évora

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, introduza o seu comentário!
Please enter your name here