As cores reúnem-se nas telas pintadas por Manuel José Marques para celebrar a terra e o céu na plenitude do sol, que o autor vai apresentar na exposição que estará patente de 16 de fevereiro a 17 de março no Auditório António Marcelino da Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz. Intitulada “Terra e Céu”, esta mostra de pintura a acrílico sobre tela pode ser visitada de segunda-feira a sábado, entre as 10h e as 12h30 e das 14h e as 17h30.

Nesta exposição, o autor propõe 17 quadros que “respiram um Alentejo sem sombras, pleno de luz e de infinito, onde por vezes aparece Monsaraz como uma presença silenciosa e vigilante, a despertar novos sentimentos”. As obras foram pintadas entre 2017 e 2024 e a vila medieval de Monsaraz foi a inspiração para seis quadros, nomeadamente “Vigiando a Planície”, “Amendoeiras”, “Tardes de Oiro”, “Navegando em terra firme”, “Sentinela da Manhã” e “Sentinela da Tarde”.

Manuel José Marques é pintor, sacerdote, professor e jornalista, estudou no Instituto Superior de Teologia de Évora, onde é docente, e fez a licenciatura e o mestrado na Universidade Pontifícia de Salamanca (Espanha). Na pintura iniciou-se na técnica do desenho a lápis, interessou-se pelo desenho a pastel e recentemente entrou no campo da pintura a óleo e acrílico e na composição com diversos materiais, como tecidos, areias e colas.

O autor considera-se um autodidata que “procura o impossível. Cada tela é um lugar de desassossego e inquietação que abre espaço ao silêncio e à paz”. “Terra e Céu” é a sétima exposição de Manuel José Marques, que apresentou pela primeira vez os seus trabalhos em 1996 em Évora, seguindo-se mostras em Monsaraz (2017 e 2019), Montemor-o-Novo (2018), Reguengos de Monsaraz (2019) e Monforte (2021).

Fonte: Nota de Imprensa / Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz