radio
Telefonia do Alentejo

Iniciativa decorreu no centro histórico de Évora

Montras Vivas 2017 com “balanço muito positivo”

Fonte: Redação

26 Dezembro 2017

Quem passou pelo centro histórico de Évora no dia 16 deste mês, um sábado, deparou-se com um cenário pouco habitual. Nas ruas a animação era muita, tal como o número de pessoas que por ali circulava.
Nem era preciso estar muito atento para perceber que as montras de muitas das lojas estavam diferentes. Tinham ganhado vida.
Tratou-se da terceira edição da iniciativa Évora Solidária Cidade Viva - Montras Vivas 2017, uma organização da AlenStage Agency - Agência Promotora do Alentejo e do Grupo Diário do Sul, em conjunto com vários parceiros, nomeadamente o Município de Évora e a Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo.
Em jeito de balanço, Nuno Monteiro, diretor da AlenStage Agency, salientou que “este ano contámos com 130 montras vivas, batendo o recorde do ano passado em que tínhamos conseguido 120”.
Admitiu que “mais uma vez, este evento correu muito melhor do que estávamos à espera”.
Segundo o mesmo responsável, “a cidade de Évora estava repleta de gente, quer para ver as montras, quer para ser solidário neste ano em que convidámos a APPACDM de Évora e os Bombeiros Voluntários de Évora para estarem presentes e receberem um donativo”.
Na sua perspetiva, “este evento engrandece a cidade, mas ao mesmo tempo promove o comércio tradicional e ajuda nas vendas nesse próprio dia”.
Nuno Monteiro revelou que “já estamos a pensar nas próximas edições para o ano, não só na época de Natal, mas também na altura do verão, por exemplo”.
Disse ainda que “são os próprios lojistas que nos fazem logo o desafio de realizar o próximo, sempre referindo que é necessário fazer coisas pelo centro histórico”.
O diretor da agência realçou que “a AlenStage, junto com o Grupo Diário do Sul, tem um compromisso com o centro histórico da cidade de Évora que é fazer iniciativas durante o ano de 2018 para promover este centro histórico, podem ser outros eventos além das Montras Vivas”, recordando que “nós somos uma agência promotora do Alentejo”.
No que diz respeito à reação da população, Nuno Monteiro destacou que “ao andar pelas ruas encontrava as pessoas com um sorriso nos lábios, muitas pessoas estavam a fazer compras, mas também muitas a passear e a divertirem-se com o acenar dos modelos”.
Frisou ainda que “este ano, os modelos tiveram um comportamento diferente, pois houve mais interação e uma maior proximidade com os visitantes”.
A esse respeito, o mesmo responsável focou que “a maior parte dos modelos eram amadores, até porque este é um evento com poucos apoios”, salientando o facto de “termos conseguido ter 130 modelos disponíveis e que já mostraram vontade de participar numa próxima edição”.
Apontou ainda “a animação que foi feita pelas ruas da cidade”, constatando que “se com poucos apoios conseguimos fazer isto, imaginem se tivermos mais apoio”.
Nuno Monteiro evidenciou também “o momento inaugural em que tivemos um ‘anjo’ a descer de umas escadas com 37 metros de altura para entregar os cheques às duas instituições”.

Primeira-dama de honor da Miss Queen Portugal
participou no evento

Esse “anjo” foi Andreia Pereira, primeira-dama de honor da Miss Queen Portugal 2017.
Esta jovem de Ponte de Sor referiu que “sendo uma iniciativa solidária, tive todo o interesse em participar, porque no fundo uma miss preocupa-se com os outros e foi sem dúvida uma experiência que vou recordar e na qual tenho muito orgulho em ter participado”.
Na sua opinião, “é um evento que torna a cidade viva e isso nota-se, pois move muita gente”.
Em relação ao momento inaugural, Andreia Pereira confessou que “valeu a pena pela vista que se tem lá de cima e, embora estivesse com algum receio, correu tudo bem”.
Para esta jovem “é importante este espírito solidário, não só na época de Natal, mas durante todo o ano”.

OPINIÓN DE NUESTROS LECTORES

Da tu opinión

Incorrecto intentelo de nuevo
NOTA: Las opiniones sobre las noticias no serán publicadas inmediatamente, quedarán pendientes de validación por parte de un administrador del periódico.

NORMAS DE USO

1. Se debe mantener un lenguaje respetuoso, evitando palabras o contenido abusivo, amenazador u obsceno.

2. www.radiotelefoniadoalentejo.com.pt se reserva el derecho a suprimir o editar comentarios.

3. Las opiniones publicadas en este espacio corresponden a las de los usuarios y no a www.radiotelefoniadoalentejo.com.pt

4. Al enviar un mensaje el autor del mismo acepta las normas de uso.