radio
Telefonia do Alentejo

Câmara de Évora visitou Agrupamento de Escolas Gabriel Pereira

Fonte: Câmara de Évora

15 Janeiro 2018

O Presidente da Câmara Municipal de Évora, Carlos Pinto de Sá, e a Vereadora da Educação, Sara Fernandes, foram conhecer as necessidades que mais preocupam o Agrupamento de Escolas Gabriel Pereira, com cerca de 2500 alunos, tendo visitado quatro dos estabelecimentos onde a autarquia tem responsabilidades: Escola Básica André de Resende, Jardim de Infância de Santo António, EB1 Heróis do Ultramar e EB1 do Rossio de S. Brás.

Além dos técnicos camarários, a acompanhar a comitiva, estiveram também os Coordenadores de cada estabelecimento escolar (Glória Cordeiro, Isabel Monginho, Rita Curvo e Rosalinda Rocha), o Director e o Vice-diretor do Agrupamento, respectivamente Fernando Martins e Joaquim Simões e também a Presidente da União de Freguesias do Bacêlo e Sra. da Saúde, Gertrudes Pastor, e a responsável pelo acompanhamento das escolas neste órgão, Margarida Rita. Em cada local, os Coordenadores foram explicando os pontos fortes e fracos dos estabelecimentos e definindo os trabalhos mais prioritários que são necessários realizar.

No final desta visita de trabalho, o Presidente do Município, Carlos Pinto de Sá, constatou que neste Agrupamento existem problemas comuns ao Agrupamento de Escolas Manuel Ferreira Patrício visitado na passada semana, nomeadamente falta de assistentes operacionais e necessidade de melhoria das instalações escolares. No Jardim de Infância de Santo António, a comitiva constatou já as melhorias recentemente concretizadas, que incluíram obras de requalificação, nomeadamente de ampliação, pinturas, substituição de coberturas e arranjo do espaço exterior.

"Nesta visita confirmámos mais uma vez a necessidade do pessoal não docente ser contratado de forma permanente, até porque há aqui acompanhamento dos miúdos portadores de deficiência, os quais têm de ter uma atenção especial e adequada a cada caso", indicou o Presidente Carlos Pinto de Sá. Outras preocupações, são relativas às instalações das escolas, de melhoria de espaços exteriores e alguns interiores.

"Temos aqui um conjunto de questões "fortes", algumas que não são da responsabilidade do Município, como é o caso do pessoal, que decorrem de políticas nacionais e onde vai haver necessidade de o Governo garantir os financiamentos necessários para a contratação, a tempo permanente e não precário, de pessoas que fazem falta", concluiu o autarca, sublinhando que "faltam 42 assistentes operacionais em Évora e que neste Agrupamento isso foi particularmente patente".

O Diretor do Agrupamento, Fernando Martins, também confirmou a falta de pessoal, explicando que todos os anos têm sido difíceis, mas "este ano talvez tenha sido o pior em que tivemos mesmo algumas das escolas para não abrir. Abrimo-las mais para não suscitar qualquer ilação política, mas foi um grande risco por exemplo na André de Resende e algumas escolas do 1º ciclo por que a falta de pessoal não docente chega a atingir os 25% em relação ao total de funcionários que temos que é de cerca de 100".

OPINIÓN DE NUESTROS LECTORES

Da tu opinión

Incorrecto intentelo de nuevo
NOTA: Las opiniones sobre las noticias no serán publicadas inmediatamente, quedarán pendientes de validación por parte de un administrador del periódico.

NORMAS DE USO

1. Se debe mantener un lenguaje respetuoso, evitando palabras o contenido abusivo, amenazador u obsceno.

2. www.radiotelefoniadoalentejo.com.pt se reserva el derecho a suprimir o editar comentarios.

3. Las opiniones publicadas en este espacio corresponden a las de los usuarios y no a www.radiotelefoniadoalentejo.com.pt

4. Al enviar un mensaje el autor del mismo acepta las normas de uso.