radio
Telefonia do Alentejo

Exposição de escultura “Outros caminhos, a mesma viagem” em Monsaraz

Autor :Nota de imprensa

Fonte: Município de Reguengos de Monsaraz

20 Fevereiro 2018

“Outros caminhos, a mesma viagem” é o título da exposição de escultura que Carlos Ramos vai apresentar entre 17 de fevereiro e 8 de abril na vila medieval de Monsaraz. Esta mostra organizada pelo Município de Reguengos de Monsaraz integra o ciclo de exposições Monsaraz Museu Aberto e pode ser apreciada diariamente entre as 9h30 e as 13h e das 14h às 17h30 na Igreja de Santiago – Galeria de Arte.
Carlos Ramos nasceu em Lisboa e tem uma vasta obra em áreas como o design gráfico, ex-líbris e medalhística. O autor revela ser um artista “ousado pelo caráter organicista que imprimo às minhas obras, pela conjugação de materiais e pela experimentação de um médium com a natureza”, referindo que “dispenso esquissos e projetos em papel, e como que num impulso repentino, prefiro passar diretamente para a matéria, deixando a obra fluir e crescer na sua escala e contornos”.
Nesta exposição, Carlos Ramos considera que “as suas peças se traduzem em formas orgânicas, depuradas, numa linguagem própria e madura. Podemos encontrar letras em algumas das minhas obras, versos que complementam a poesia da peça. Independentemente do material com que trabalho, desenvolvo um jogo espacial que ajuda a consolidar a atmosfera da peça, criando espaços vazios no seu interior que vivificam a densidade e o peso da obra”.
A primeira exposição de escultura do artista foi em 1996 na Galeria de Arte do Casino Estoril, tendo desde esse ano participado em 62 mostras coletivas e 36 individuais em Portugal e quatro individuais e duas coletivas em Espanha, nomeadamente em Salamanca, Olivença e Marbella. Carlos Ramos está representado em várias coleções privadas e públicas em Portugal, Inglaterra, Brasil, Espanha, Holanda e Angola.
O autor realizou ainda trabalhos como a placa alusiva ao Regicídio e o Memorial às Vitimas da Intolerância, ambos em Lisboa, a escultura em espaço público “Tempo de Sonhar”, em Santarém, e uma escultura de grande formato intitulada “Terra”, em Luanda (Angola). Carlos Ramos colaborou também com a Companhia Nacional de Bailado na pintura do pano de boca de cena, pintura do guarda roupa, e recuperação de adereços e joalharia para o bailado “Sagração da Primavera”, de Igor Stravinsky.
No ano passado, as exposições na Igreja de Santiago – Galeria de Arte foram visitadas por cerca de 16 mil pessoas, um acréscimo de 5,9 por cento comparativamente com o ano anterior. Em 2017, a vila medieval recebeu 174 mil visitas nos museus, igrejas, exposições e postos de turismo, mais 12,4 por cento que em 2016, destacando-se como o melhor ano desde que há registos. Este número de visitas estima-se que corresponderá a 92 mil turistas e visitantes e que 52 por cento do total foram portugueses.

OPINIÓN DE NUESTROS LECTORES

Da tu opinión

Incorrecto intentelo de nuevo
NOTA: Las opiniones sobre las noticias no serán publicadas inmediatamente, quedarán pendientes de validación por parte de un administrador del periódico.

NORMAS DE USO

1. Se debe mantener un lenguaje respetuoso, evitando palabras o contenido abusivo, amenazador u obsceno.

2. www.radiotelefoniadoalentejo.com.pt se reserva el derecho a suprimir o editar comentarios.

3. Las opiniones publicadas en este espacio corresponden a las de los usuarios y no a www.radiotelefoniadoalentejo.com.pt

4. Al enviar un mensaje el autor del mismo acepta las normas de uso.