Sonus Faber Project

XXII Ciclo de Concertos “Música e outras Artes nos Claustros”

A Associação Eborae Mvsica realiza, em Julho, o XXII Ciclo de Concertos “Música e outras Artes nos Claustros” uma atividade marcada pela originalidade dado que o seu objetivo é articular a música com diferentes formas de expressão artística, com qualidade artística e relevância cultural.

O Ciclo continua dia 31 de julho, às 21h30 com um concerto pelo Trio Cremeloque formado por Luis Marques (oboé), Saska Konjikusic (piano) e Franz Jurgen Dorsam (fagote) e termina no dia 1 de agosto às 21h30 com Sonus Faber Project com Luís Marques (oboé) e Elizabeth Davis (marimba).

Programa –  Trio Cremeloque – Ludwig van Beethoven (1770-1827) :Allegretto WoO 39 Sib Maior; Anne Victorino d’Almeida *1978(Estreia absoluta):Pequena fantasia ao postigo; Tiago Derriça *1986(Estreia absoluta): Trio-Allegro-Lento-Rondó;

Alexander Wunderer (1877-1956) – Trio n°1 – Alegro Spirituoso-Andante-Tempo di Polka lento-Rondó; Astor  Piazzolla (1921-1992):Primavera Porteña

Programa – Sonus Faber Project – Tiago Derriça *1986 (Estreia absoluta): Sonus Faber Song; François Du Bois *19..: Entre deux mondes; Filipe Raposo *1979(Estreia na versão dedicada ao Sonus Faber Project): Fugue without prelude; Adolfo Delgado *19..(Estreia na versão dedicada ao Sonus Faber Project): Cañis de Algeciras; Andrew Beall *1980: Rose of Sharon- Song of Almah; Astor Piazzolla (1921-1992):Café 1930

Luís Marques Iniciou os seus estudos musicais quando tinha 7 anos de idade na Academia de Música Eborense, tendo de seguida frequentado a ESML. Diplomou-se pela «Hochschule für Music Basel». Foi primeiro prémio no Concurso de Interpretação Musical do Estoril. Tem atuado em quase toda a Europa e também em Israel, Moçambique, China e Japão. Como solista apresentou-se com a Orquestra de Câmara de Cascais, Orquestra de Câmara de Macau, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra Barroca Músicos do Tejo, e Americantiga. Foi estagiário na Sinfonieorchester Basel, tendo posteriormente ingressado na Orquestra Sinfónica Portuguesa. Participou em diversas gravações para as editoras Naxos, Solomusica, Paraty e Númerica, com excelentes críticas internacionais.

Franz-Jürgen Dörsam, Nascido em Mannheim/Alemanha, começou a sua formação musical em Clarinete, Piano e Fagote no Nationaltheater Mannheim. Iniciou os estudos superiores de Fagote na Musikhochschule Hannover e continuou na Musikhochshule Mannheim onde obteve o grau de mestre. Trabalhou como solista de fagote na Symphonisches Orchester Berlin, na Nordwestdeutschen Philharmonie em Herford e na Sinfonieorchester Wuppertal. Colaborou com várias orquestras, como Wiener Symphoniker, Ópera de Dortmund e Düsseldorf, Bournemouth Symphony Orchestra, BBC Scottish Symphony Orchestra,e outras. Atuou como solista com os concertos para fagote e orquestra de Weber, Mozart, Hummel, Danzi e Devienne, entre outros, com diversas orquestras. Gravou vários concertos a solo Realizou tournées com diversas Orquestras em diversos países da Europa, Ásia e América do Sul. Desde 1995 é Solista de fagote na Orquestra Metropolitana de Lisboa e Professor de Fagote na Academia Nacional Superior da Orquestra.

Savka Konjikusic, Pianista de origem Sérvia, acabou os estudos superiores na Academia Superior de Arte de Novi Sad . Prosseguiu os seus estudos no Conservatório Real de Haia onde concluiu o Mestrado. Durante os seus estudos ganhou vários prémios em concursos nacionais. Participou em masterclasses de piano com Arbo Valdma, Konstantin Bogino, Gyorgy Sebok e Vladimir Tropp Apresenta-se regularmente em recitais a solo e em formações de música de câmara tanto em Portugal, como no estrangeiro, nas mais prestigiadas salas de concertos, entre elas o Concertgebouw em Amsterdão. Muitos dos seus concertos foram transmitidos pela rádio e pela televisão. Colaborou com vários artistas de renome internacional tais como Maria João Pires, Hansjorg Schellenberger e Françoix Leleux. Participou em vários festivais internacionais de música.Gravou vários CDs. Desde 1992 é pianista associada na Orquestra Metropolitana de Lisboa. Como docente exerce funções de professora e pianista acompanhadora na Orquestra Metropolitana de Lisboa e na Escola de Música do Conservatório Nacional de Lisboa.

Elizabeth Davis Timpanista e chefe de naipe de percussão da Orquestra Sinfónica Portuguesa (OSP), chegou a Portugal em 1989. Licenciada em música pela Nottingham University e em percussão pela Royal Academy of Music de Londres, a inglesa (nacionalizada portuguesa há dois anos) foi a primeira mulher a estudar percussão na Hochschule de Hamburgo na Alemanha. Em Portugal, começou pela Orquestra Sinfónica do Porto onde esteve durante quatro anos, antes de integrar a Orquestra Sinfónica Portuguesa em 1993. Coordena o projeto “Gamelão de Java”, em Lisboa, há mais de 10 anos.

É necessário efetuar reserva através do email eboraemusica@gmail.com. É solicitada a contribuição de 5,00€ (entrada para 5 concertos – 20,00€) ; É obrigatório o uso de máscara.

A Organização é da Associação Eborae Musica entidade financiada pelo Ministério da Cultura- DGArtes, com Co-Produção da Câmara Municipal de Évora, e apoio de: Diário do Sul, A Defesa, Registo, Antena 2 e Rádio Diana.

Fonte: Nota de Imprensa / Eborae Música

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, introduza o seu comentário!
Please enter your name here